Imprimir esta página
segunda-feira, 21 setembro 2020 17:04

Inovação sustentável pode ajudar o grande consumo

O investimento em iniciativas e produtos sustentáveis e inovadores ajudará as insígnias de grande consumo a conquistar o grupo de consumidores ambientalmente conscientes. Segundo o estudo “Who Cares Who Does”, da consultora Kantar, os clientes portugueses estão entre “os que mais indicaram a necessidade de encontrarem à venda produtos embalados em outro material que não o plástico”.

Um em cada cinco compradores afirma que, desde que começou a pandemia, adquiriu mais hábitos amigos do ambiente e 16% estão focados em mais iniciativas ambientais. A Manufacturers Sector Director da Kantar em Portugal, Marta Santos, defende que, “mais do que continuar a falar sobre o problema, urge disponibilizar a solução aos consumidores que estão mais atentos e exigentes do que nunca. Os consumidores portugueses estão entre os que mais indicaram a necessidade de encontrarem à venda produtos embalados em outro material que não o plástico, com um índex 20% acima da média global”.

Também os eco-ativos, que a Kantar identifica como o grupo que trabalha de forma consistente para reduzir os seus resíduos de plástico, cresceu de 16% para 20% dos compradores, ao nível mundial, desde 2020.

“Os nossos dados continuam a sugerir que a inovação para reduzir o plástico mantém-se como uma oportunidade”, afirma a Global Link Q Director na Worldpanel Division, Kantar, Natalie Babbage. “Observámos que os compradores estão altamente conscientes das embalagens que compram todas as semanas e isso é uma das coisas mais importantes em que pensam, quando consideram pessoalmente como podem reduzir o seu impacto ambiental. Embora os compradores tenham verificado menos aspetos da comida durante a pandemia de Covid-19, as etiquetas das embalagens recicladas (+4 pontos percentuais) e de garantia de qualidade (+3 pontos percentuais) estão a ser verificadas mais do que antes, demonstrando uma procura de alternativas verdes ao plástico”, acrescenta.

Fonte: Kantar Worldpanel Portugal