sexta-feira, 18 novembro 2022 16:05

GfK prevê desaceleração dos Bens de Consumo Tecnológicos e Duráveis

Os bens de consumo de tecnologias de informação e eletrónica de consumo deverão ter muita procura na Black Friday, principalmente devido aos grandes descontos nos segmentos mais baixos. Os dados são da GfK Portugal, que aponta, no entanto, para uma desaceleração de 6 a 7% do mercado mundial de Bens de Consumo Tecnológicos e Duráveis em 2022 face ao ano anterior.

Se, em anos anteriores, a Black Friday foi condicionada pelo impacto da pandemia, escassez de oferta e subida de preços, em 2022, diz a consultora que retalhistas e fabricantes estão a ter de enfrentar, “não apenas a crise macroeconómica de inflação descontrolada, o elevado grau de incerteza e os orçamentos reduzidos dos consumidores, mas também, uma quebra na procura devido aos efeitos de saturação e as elevadas referências (benchmarking) de 2021”.

Segundo a GfK, “apesar da queda geral na procura, o mercado tem vindo a estabilizar-se devido aos consumidores com orçamentos maiores, que continuam a comprar apesar do aumento da inflação – especialmente produtos premium”. É o caso dos aspiradores robot com docking station, que registaram um crescimento de mais de 100%, de janeiro a setembro de 2022 em comparação com o ano anterior, enquanto os aspiradores recarregáveis manuais caíram 4%.

A acentuação da divisão entre clientes de produtos premium e produtos standard é, aliás, uma tendência deste ano, “impulsionada pela inflação e pela redução dos orçamentos domésticos”. “Entre o declínio mundial da procura, os stocks elevados e a pressão dos preços, é mais importante – e mais difícil – do que nunca, para os retalhistas, encontrar o equilíbrio certo entre promoção e bons preços, mantendo as suas margens. Capitalizar em inovações para diferenciar produtos-chave é mais relevante do que nos últimos anos. Mas também há uma narrativa promissora em torno da minimização do custo total do ciclo de vida, isto é, persuadir os consumidores a investir em modelos mais caros que ofereçam maior durabilidade, possibilidade de reparação ou atualização e, portanto, que durem mais do que os modelos mais baratos”, afirma o especialista da GfK em Bens Tecnológicos de Consumo e Duráveis Norbert Herzog.

“Para a temporada de promoções deste ano os grupos de produtos com uma procura particularmente fraca nos últimos meses, provavelmente, terão descontos maiores. O que será especialmente verdadeiro para artigos de produção em massa, uma vez que os premium ainda registam uma procura estável e, portanto, exigem menores descontos”, acrescenta.

Televisões e computadores portáteis são as duas categorias em que são esperados maiores aumentos de vendas na semana de promoções da Black Friday em comparação com uma semana normal. Isto resulta, de acordo com a consultora, da necessidade de escoar stocks – fruto da quebra nas vendas de 5% de janeiro a setembro – e da proximidade do Mundial de Futebol.

O mesmo se aplica aos produtos de TI, que registaram um “crescimento recorde” durante a pandemia. Em comparação com os “níveis de base muito elevados de 2021”, e devido aos efeitos da saturação, a procura caiu significativamente nos primeiros nove meses, com uma queda de 5% no volume de vendas em relação ao ano passado, o que já levou a uma duplicação das atividades promocionais para produtos de TI, de janeiro a setembro de 2022, embora tenham sido limitadas quase exclusivamente à gama de produtos abaixo dos mil dólares. A procura de produtos premium de TI permaneceu estável, tendo sido, como tal, deixados de fora das campanhas de descontos. Essa tendência também continuará a verificar-se na Black Friday, com a GfK a prever que o mercado global de produtos de TI e escritório termine o ano com uma redução de 5% em relação a 2021.

No que diz respeito aos Grandes Eletrodomésticos (MDA), é esperado um crescimento menor das atividades promocionais na Black Friday, em comparação com os Bens Eletrónicos de Consumo e TI, já que o mercado de MDA é comparativamente mais estável do que o mercado total de T&D. Registaram uma quebra de 4% no volume de vendas, entre janeiro a setembro de 2022, face ao ano anterior. As categorias MDA registaram, porém, vendas crescentes durante a época alta nos últimos anos. A consultora espera que os Grandes Eletrodomésticos continuem a ganhar terreno na Black Friday deste ano também.

Fonte: LPM

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária